Tuesday, 26 January 2016

Criei

Criar é dialogar com a penumbra
É nutrir a própria loucura
É atirar-se à ventura
De onde o todo ressumbra

Saltar fogueiras
Tragar veneno
Passar as fronteiras
Do bem e do obsceno

É amamentar a nossa criança,
Que jaz negligenciada
Nesta caverna encerrada,
E dar amor, dar esperança

Partir os muros que nos vedam
Para que a luz pelas gretas verta
E partilhar e que todos aprendam,
Perfeição é inerente, nada é necessário que se inserta.















5 comments: