Tuesday, 22 November 2016

Adoro a noite

Adoro a noite
E a sua escuridão silenciosa,
A magia dos astros
Que decora os celestes pastos.
Adoro dias chuvosos,
A música do gotejar,
Hipnótico pingar.
Ah, e quando o sol é engolido,
Pelas nuvens mordido,
Aí sim, regozijo!
Gosto de ver o vento
A correr enraivecido,
E o meu coração corre lado a lado
Irmão na fúria vertiginosa,
Cúmplice dos elementos.
À medida que escrevo
A calma, lentamente, repõe-se
Como se a própria borrasca
Tivesse sido capturada
Por esta carcereira página carrasca,
E more agora dentro das letras.

No comments:

Post a Comment